Web 3.0

Como também quero ajudar a dar referência sobre conceitos da cibercutura, segue alguns comentários sobre a WEB 3.0:

Web 3.0

por Jeffrey Zeldman

O Google, com a cooperação de renomadas bibliotecas, têm digitalizado livros para torná-los encontráveis. A prática excita os futuristas mas aborrece algumas editoras. Por necessidade, a digitalização cria cópias virtuais. As editoras reclamam que tal cópia viola os direitos autorais, mesmo que o conteúdo do livro esteja escondido do público. A Biblioteca Pública de Nova York, um dos parceiros do Google no projeto, recentemente organizou um debate público sobre o assunto.

Foi enquanto eu esperava por este debate que meu desconforto com a recente onda de um emergente gênero de desenvolvimento web se tornou num ódio mortal.

 fonte: http://alabrasil.blogspot.com/2006/02/web-30.html

Web 3.0?

Published November 14th, 2006

Terminada a conferência Web2.0 em São Francisco há menos de uma semana levantou-se já uma discussão interessante sobre o fim do próprio conceito de web2.0.
Nicholas Carr congrega indícios do primeiro assalto e um artigo de John Markoff no New York Times reforça o argumento – a era da ligação entre espaços web sem qualquer leitura de sentido terminou.
Agora vem aí a coisa seguinte, a Web3.0, em que – promete-se – o objectivo é acrescentar uma camada de sentido ao que já existe na web, tornando-a menos num catálogo e mais numa espécie de guia. fonte: http://atrium.wordpress.com/2006/11/14/web-30/ 

Chega! Não vou falar mais de WEB 2.0!

Quer dizer, vou falar, mas bem menos. Já perdeu a graça. Hoje todo mundo fala de WEB 2.0. Revistas, jornais, programas de TV e empresas. Todo mundo já fez uma matéria ou deu um pitaco sobre ela.

Como este blog tenta apresentar tendências, vamos conversar sobre outra coisa. Sobre WEB 3.0. O conceito é novo, tanto que nem existe tópico na Wikipedia. Pelo que percebi, existem quatro visões do que será a WEB 3.0. No final, todas devem se unir:


fonte: http://72.14.209.104/search?q=cache:ky6w6OY-tBYJ:z001.ig.com.br/ig/59/32/896736/blig/tiagodoria/2006_44.html#post_18671344

Da Web 3.0 à World Wide Database

Os cientistas e muitas companhias trabalham diariamente para encontrar novos modos de extrair inteligência dos bilhões de documentos que formam a web. O objetivo é acrescentar mais sentido aos dados, atribuindo maior inteligência às máquinas para que elas não apenas sigam comandos, mas possam dar respostas mais significativas quando, por exemplo, se está à procura de um assunto específico. O projeto de Tim Berners-Lee – Semântica Web, que vem sendo chamada Web 3.0 – vai nesta direção, mas, é um esforço que ainda está na infância, como afirma John Markoff em uma matéria publicada neste domingo (12/11) no The New York Times na qual discute os novos rumos para a web e o impacto comercial que poderão ter as novas aplicações nas mais diversas áreas.

fonte: http://gjol.blogspot.com/2006/11/da-web-30-world-wide-database_13.html

Web 3.0

A web 2.0 ainda surpreende o povão, mas a web 3.0 já é pensada nos bastidores desde quando serviços como blogs, o YouTube ou o MySpace se tornaram febre mundial. São fatos razoavelmente bem compreendidos de que a web 1.0 é a que você lê e a web 2.0 é aquele onde você lê e escreve. Mesmo que essa seja uma visão muito, mas muito simples e limitada do todo.

Apesar de ser uma novidade, existem vários textos que podem ser encontrados com o Google sobre a web 3.0, inclusive em português. Todos os textos ainda são conjecturas, como esse meu texto que você lê. Mas hoje eu encontrei uma visão “de escrever” sobre a web3.0 que realmente me agradou. Infelizmente esse link é restrito aos assinantes do UOL, mas quem puder ler, clique aqui, vale apena, mesmo que não concorde com tudo que está escrito lá.

fonte: http://jfmitre.blogspot.com/2006/11/web-30.html

Web 3.0?

Há quem diga que a Web 3.0 será a web das Widgets.

Eu gosto de pensar que a Web 3.0 será algo com mais impacto do que widgets. A Web 2.0 foi uma mudança radical feita com ferramentas que já usávamos á anos.
Então agora que a W3C fez sair um work draft chamado Widgets 1.0, cada vez mais parece que a Web 3.0 será comandada pelo uso de widgets.

Mas gostava que fosse algo mais…

fonte: http://blue.muiomuio.net/web-30/

Web 3.0

No começo eram páginas estáticas aplicando o conceito de hypertexto contendo links para outras páginas ao redor da rede, formando um emaranhado de informações cruzadas a que se convencionou chamar de teia: a web.

Então veio a explosão multimídia, e junto com ela a exploração comercial ostensiva. Novos e velhos modelos de negócio se estabeleceram online. E em paralelo, grande parte dos sistemas corporativos passaram a ser desenvolvidos com a mesma tecnologia: sistemas distribuídos, “thin clients”, etc. Em paralelo, a popularização do computador como um eletrodoméstico permitiu que o mundo “todo” se plugasse na rede.

Essa era a web em sua “versão 1.0”.

fonte: http://knowledge-bbs.blogspot.com/2006/03/web-30.html

Olá,

Vocês já leram sobre a Web 3.0? Segue link do New York Times:
http://www.nytimes.com/2006/11/12/business/12web.html?_r=1&oref=slogin

Comentários muito interessantes no blog do Nicholas Carr:
http://www.roughtype.com/archives/2006/11/welcome_web_30.php

Um resumo do que vem por aí:

The classic example of the Web 2.0 era is the "mash-up" — for example,
connecting a rental-housing Web site with Google Maps to create a new, more
useful service that automatically shows the location of each rental listing.

In contrast, *the Holy Grail for developers of the semantic Web is to build
a system that can give a reasonable and complete response to a simple
question like: "I'm looking for a warm place to vacation and I have a budget
of $3,000. Oh, and I have an 11-year-old child."*

fonte:  http://www.listas.unicamp.br/pipermail/ead-l/2006-November/009116.html

Chegou a Web 3.0? Criar PDF Versão para impressão E-mail

Quando a Web 2.0 ainda não estabilizou, quer na definição concreta ou nos modelos de negócio, John Markoff escreve no “New York Times” um artigo sobre a web 3.0, “uma Web guiada pelo senso comum” em que se “acrescenta uma camada de entendimento por cima da Web actual que a tornará menos um catálogo e mais um guia”.
O artigo foi criticado em vários blogues.
Em paralelo, a revista Wired publicou um trabalho sobre o lado empresarial da Web 2.0, falando de algumas “pequenas empresas que fornecem produtos de nicho” . fonte: http://congresso.apdc.pt/blog-oficial/uma-revolucao-chamada-web-2.0/chegou-a-web-3.0.html

Web 3.0 – Por Joi Ito, Investidor da Rede

Investidores da web, diz ter parado de pôr dinheiro na rede:
O japonês Joichi Ito (ou Joi Ito) ajudou a fundar empresas pontocom bem-sucedidas e, agora, é um dos principais investidores por trás do site Technorati, que mede o impacto de blogs, e da Mozilla, empresa que faz o navegador Firefox. Mas parou de apostar na web.

fonte: http://brazilbusiness.biz/2006/07/03/web-30-por-joi-ito-investidor-da-rede/

Uma resposta to “Web 3.0”

  1. Referencia « Blue muio:muio Says:

    […] Só para dizer que o meu post sobre a [tag]Web 3.0[tag] foi colocado como uma referencia de posts a ler sobre a Web 3.0 no ex.pecul.ando. […]


Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: